SEW-EURODRIVE lança robô Quadropod

imageEspecialista em accionamentos e controlo do movimento, a SEW-EURODRIVE está também na "linha da frente" do desenvolvimento da robótica. O Quadropod é um novo robô de manipulação, tipo delta mas com quatro eixos.
Apesar do design simples e compacto, o Quadropod tem um amplo leque de aplicações potenciais, já que combina elevado dinamismo, capacidade de carga e precisão de posicionamento. Pode também ser configurado à medida das necessidades. O comprimento de cada um dos seus quatro braços pode ser alterado em separado. No Quadripod, combinam-se equipamentos SEW bem conhecidos – quatro servomotores da gama CMP, servo-inversores MOVIAXIS®  e controlador de movimento MOVI-PLC® – e ainda o software "Cross Kinematic Calculation", desenvolvido também pela SEW.
Graças ao seu princípio modular e aos algoritmos de controlo parametrizáveis, o robô Quadripod pode ser adaptado para múltiplas áreas de aplicação, incluindo aplicações com requisitos especiais de higiene na indústria alimentar. A capacidade de carga e a precisão de posicionamento permitem usar este robô em tarefas de pick and place, transferência ou mesmo em tarefas de grupagem e paletização complexas, ou ainda em sistemas de fabricação aditiva (impressão 3D). A rigidez do sistema também permite aplicações de processamento.

Anúncios

Uma edição cheia de novidades!

Está em distribuição a REVIPROJECT 188, cheia de novidades técnicas. Nas notícias de abertura, o destaque vai para o conjunto das feiras GIFA, METEC, THERMPROCESS e NEWCAST, que se realizam em Dusseldorf (Alemanha), formando o The Bright World of Metals, a maior plataforma de negócios a nível mundial para o sector da metalurgia e metalomecânica. 5 empresas portuguesas marcam presença neste grande evento.image

No capítulo da AUTOMAÇÃO, entre outras novidades, a REVIPROJECT destaca as novidades apresentadas pela SIEMENS na Feira de Hanover, que representam avanços nas tendências de digitalização e Indústria 4.0.

Nas páginas dedicadas a ACCIONAMENTOS, a REVIPROJECT destaca os desenvolvimentos recentes das marcas SEW-EURODRIVE,SIEMENS, NORD, INVERTEK, WEG e EMERSON.

Os novos robôs leves e “de mesa” são o destaque da secção de ROBÓTICA. As routers sem fios, as interfaces Ethernet e os conversores de protocolos preenchem a secção LIGAÇÃO. Por seu turno, as páginas dedicadas à DETECÇÃO E MEDIDA trazem informação sobre contadores de partículas, contadores de água por ultrassons e sobre sensores LED. Os novos sensores laser com conectividade Ethernet são uma das recentes novidades da OMRON.

Na secção SOFTWARE, esta edição destaca o EPLAN 2.5 e a nova ferramenta de gestão de energia da SISTRADE.

A REVIPROJECT 188 inclui ainda páginas sobre VISÃO (novidades INFAIMON), SEGURANÇA (sensores OMRON), MÁQUINAS e MATERIAIS.

Esta edição foi disponibilizada em três formatos: edição impressa, edição digital em pdf (com hiperligações activas para páginas, documentos e vídeos) e ainda uma edição consultável on line. Desta vez, antecipamos o acesso a esta edição. Basta CLICAR PARA VER! Aproveite esta oportunidade, habitualmente só disponível para assinantes

Robô com reacção baseada em cálculo

imageO robô de ping-pong desenvolvido pela Omron é mais uma demonstração do potencial da robótica fora das tarefas repetitivas. O jogo do ping-pongfoi o pretexto escolhido para desenvolver um robô capaz de se adaptar às variáveis incertasdo seu “ambiente de trabalho” e à intervenção humana, que pode ser inesperada. Para jogar ping-pong com um adversário humano, este robô de tipo delta, equipado com cinco motores, usa a informação de vários sensores para calcular a trajectória e velocidade da bola com base no movimento físico do adversário e na posição da bola. É também capaz de “decidir” a velocidade de reenvio da bola e o ponto para onde é dirigida.

O robô de ping-pong esteve em foco na exposição tecnológica CEATEC (Combined Exhibition of Advanced Technologies) realizada no Japão em Outubro de 2014 e recebeu o grande prémio de inovação atribuído por um júri de jornalistas. Os principais critérios para a atribuição deste prémio são o carácter inovador e a potencial influência no mercado.
A Omron continua a investigar o potencial da robótica para tarefas distintas em ambientes mutantes, uma área que envolve necessariamente a combinação de tecnologias de visão, sensores, mecânica e processadores de dados.

Novo modo de programação de robôs

A consola de controlo portátil KeTop T10 directMove, desenvolvida pela Keba (Linz, Áustria) foi distinguida com prémio ‘Robotics Award’, anunciado durante a mais recente feira de Hannover. A nova consola permite operar robôs com gestos fáceis e intuitivos, de um modo inovador. O processo de programação de robô designado "teach in" é normalmente uma tarefa complexa de programação de sequências de movimentos que requer conhecimentos especiais. O novo conceito intuitivo que está na base da consola KeTop T10 directMove reduz o processo de teach in a cerca de uma quinta parte do tempo.

image
Equipada com uma unidade de medida 6D IMU (Inertial Measurement Unit), a nova consola é capaz de detectar a sua posição no espaço tridimensional. O operador pode então especificar o movimento ou rotação indicando a direcção de movimento e utilizando um pequeno joystick – qualquer que seja a sua posição relativamente ao robô. Não é necessário ter conhecimentos aprofundados sobre sistemas de coordenadas. A velocidade do movimento pode ser alterada através da intensidade da operação do joystick. O filme mostra este novo conceito de programação de robos.

O novo modo intuitivo de programação poderá vir a ser adoptado por vários fabricantes de robôs.

Novo controlador topo de gama

imageO controlador DX200 para robôs Yaskawa Motoman foi uma das novidades da feira AUTOMATICA que decorreu nos dias 3 a 6 de Junho em Munique. Mantém todas as caracteristicas do controlador  DX100, com uma série de opções adicionais, nomeadamente de funções de segurança e mais de 120 funções de aplicações especificas. As novas funções vêm facilitar a vida aos integradores e aos utilizadores finais de Yaskawa Motoman para funções de manipulação e soldadura.
O novo DX200 está a ser lançado no mercado em conjunto com uma vasta gama de manipuladores novos e tecnicamente melhorados.
Outras novas características incluem o sistema de bus orientado para a segurança, bem como o controlador de segurança integrado. As últimas transformações tornam o DX200 numa unidade funcional de segurança (FSU) que correspondem às categorias 3, PL d, em conformidade com o EN ISO 13849-1. Com até 32 zonas de segurança definíveis e a capacidade de monitorar até 16 equipamentos auxiliares, permite uma área de trabalho mais reduzida e uma utilização melhorada da área de produção. A Yaskawa Motoman é representada em Portugal pela empresa Roboplan, Lda.. Para mais informação, clique AQUI.

Novos robôs industriais

imageJá com a nova cor branca, os robôs industriais da família IRB 1200 são apontados como substitutos da mão-de-obra em linhas de montagem, para tarefas de alimentação e transferência entre máquinas, bem como para células de maquinação, polimento, etc.. São 15% mais compactos e 10% mais velozes, podem ser montados em qualquer posição e estão disponíveis em duas combinações de alcance e capacidade de carga: 700mm/7 kg e 900 mm/5 kg. Para além das superfícies lisas, os novos robôs têm protecção IP 40 de série e IP67 como opção. Em 2015, a ABB disponibilizará versões para instalações "clean room" e "food grade".
As ligações eléctricas e pneumáticas podem ser feitas por portas laterais ou por um ligação opcional sob o robô. Existe também uma porta Ethernet embebida no robô, tornando mais fácil a integração em ambientes de automação.


No passado, a cor laranja era o primeiro sinal de reconhecimento de um robô ABB. A escolha dessa cor remonta aos anos 70 do século passado e teve em vista objectivos de segurança, isto é, tornar o robô bem visível nas instalações industriais. Entretanto, os robôs tornaram-se mais seguros e capazes de coexistir em modo seguro com pessoas. Em 2014, a ABB decidiu mudar de cor: os novos robôs assumem, por defeito, a cor "branco grafite" e os clientes podem receber os robôs com a cor que preferirem.

Robôs Industriais: mercado mundial recupera

Em 2010 foram vendidos, a nível mundial, 118 337 robôs industriais, quase o dobro das vendas de 2009, o pior ano de sempre na história deste mercado (com uma queda de 47%). Os sectores automóvel e electrónica foram os principais responsáveis pela queda e pela recuperação. Em termos regionais, foi a Ásia (incluindo Austrália e Nova Zelândia) que registou maior subida em 2010 (mais 132%, 70 mil unidades), destacando-se a China, Coreia e países da ASEAN, cujas compras praticamente triplicaram. Apesar da redução das compras pela indústria automóvel,  o Japão subiu 72% (21,9 mil unidades) e saltou para a posição de 2º maior comprador de robôs. A China é agora o 4º mercado, logo a seguir aos EUA, que registaram uma subida de 90% e quase regressaram ao nível de vendas de 2008.

image
Na Europa, as vendas de robôs industriais aumentaram 50%, com 60,6 mil unidades vendidas em 2010. O nível das vendas ainda ficou 13% abaixo do nível de 2008. A Alemanha é o principal mercado e também o líder na recuperação, com 14 mil novos robôs e um aumento de 65%. O sector automóvel, onde a queda de 2009 foi mais grave, aumentou 172%. Os sectores plásticos e metalomecânica aumentaram 50% e o sector alimentação e bebidas atingiu novo nível máximo.
A Espanha comprou 1900 robôs industriais, mais 41% que em 2009, mas não voltou ao nível de 2008. O Reino Unido comprou 900 unidades e aumentou 38%.

Mudanças estruturais

O ano de 2009 é considerado atípico na evolução do mercado dos robôs industriais. Os fabricantes e integradores sonham voltar aos níveis anteriores, mas também há sinais de que o mercado iniciou um novo ciclo de mudanças estruturais. As vendas de robôs dependem cada vez mais do crescimento das indústrias utilizadoras. Mesmo que haja vantagem em substituir robôs mais antigos por unidades mais eficientes, os clientes  reagem com mais prudência e começam por prolongar o tempo de serviço dos robôs de que dispõem. Nas estatísticas internacionais, a estimativa do total de robôs em serviço deixou de ser calculada com base num tempo de vida útil de 12 anos, passando a considerar-se 15 anos, número mais próximo da realidade.
Outra mudança estrutural é a que deve ocorrer na repartição sectorial das vendas. O sector automóvel (designadamente as aplicações de soldadura e pintura) continuará em primeiro lugar, mas descerá em termos relativos. Em compensação, existe um enorme potencial de crescimento em sectores como os plásticos e as indústrias de alimentação e bebidas, incluindo embalagem e engarrafamento. Nos plásticos, as aplicações típicas são a extracção e manipulação de peças técnicas após a moldação por injecção. Nas indústrias de produtos de grande consumo, as aplicações são sobretudo de paletização e manipulação.
No sector automóvel, o número de robôs instalados por cada 10 000 empregados situa-se entre 400 e 700. Mas nas indústrias de embalagem e alimentação e bebidas, esse indicador de "densidade de robôs" ainda está abaixo das 50 unidades! Embora nenhum fabricante de robôs possa descurar os segmentos automóvel e electrónica, o indicador de densidade aponta claramente para o elevado potencial noutros sectores.

image

Esta mudança estrutural – diversificação – ficou mitigada em 2009 com a descida das vendas de robôs para as indústrias de plásticos e com o facto de a recuperação ainda ser parcial: 2008 – 14,8 mil; 2009 – 5,8 mil; 2010 – 8,94 mil. Mas isso deve-se ao peso das aplicações auto na indústria de plásticos. Esta indústria produz peças técnicas para outros sectores tão diferenciados como material eléctrico, electrónica, embalagem, aplicações domésticas, materiais de construção, peças técnicas para mobiliário, ferramentas, componentes para máquinas, brinquedos e lazer, artigos de uso médico, etc.. No seu conjunto, a indústria de plásticos, tem uma "densidade de robôs" que se pode considerar média, estimada entre 200 e 400 robôs por 10 000 empregos. Mas fora dos segmentos de grandes séries (auto), a densidade de robôs ainda tem muito por onde crescer. Em termos globais, a indústria de plásticos é responsável por 8% das vendas de robôs industriais.
O peso das indústrias da alimentação e bebidas é de apenas 4% das vendas globais. Em 2010, estas indústrias compraram apenas 4 350 robôs, 58% dos quais na Europa. As perspectivas de vendas para este sector são completamente diferentes. O aumento das vendas de robôs industriais para o sector automóvel depende do crescimento dessa indústria. Mas as vendas para os sectores da alimentação, embalagem e engarrafamento podem subir mesmo que essas indústrias tenham crescimento moderado – basta que haja aumento da "densidade de robôs". Por exemplo, substituindo sistemas de paletização convencionais por robôs, ou robotizando as linhas de embalagem.

image

%d bloggers like this: