por-banner-468x200

Anúncios

Liquidmetal: ligas injectáveis

imageEspecialista em tecnologia de injeção de plásticos, a ENGEL (Schwertberg, Austria) desenvolveu a adaptação dessa tecnologia às ligas de zircónio desenvolvidas pela Liquidmetal Technologies (Rancho Santa Margarita, Califórnia, EUA). O material tem estrutura amorfa e permite fabricar componentes com características combinadas de dureza e elasticidade.

A dureza atinge 53 HRC sem tratamento térmico e a elasticidade vai até aos 1,8% (comparativamente aos 0,2% do aço e aos 1% do titânio). Os materiais Liquidmetal são ligas leves, resistem à corrosão, a tensões elevadas e são biocompatíveis, características que abrem possibilidades em diversas áreas de aplicação: instrumentos cirúrgicos, componentes de eletrónica, automóvel, aeronáutica, artigos de desporto, artigos decorativos, etc.. Para mais informação sobre a tecnologia Liquidmetal, clicar AQUI.

image

O processo de injeção de metais é mais eficiente que os processos de maquinação CNC e de injeção metálica (MIM, metal injection molding) e permite obter componentes de precisão e ou com geometrias complexas numa só etapa e com elevada reprodutibilidade.

Uma revista com Visão

imageO projecto InspectWare, que envolveu o desenvolvimento de um protótipo industrial robotizado e de um algoritmo de inspecção por visão artificial para aplicação no sector da louça utilitária, é o grande destaque da edição n.º 189 da revista reviproject. O projecto envolveu a ENERMETER, especialista em sistemas e soluções de visão artificial, a Costa Verde, produtora de louça doméstica e o CTCV – Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro.
Esta edição digital, que já foi distribuída aos assinantes, destaca ainda a certificação da tecnologia de accionamentos da SEW-EURODRIVE para áreas limpas (clean room), a nova gama de controladores da OMRON para automação de máquinas, e ainda muitas outras novidades técnicas em matéria de visão artificial, detecção e medida, software, relés de segurança, acessórios para redes de ar comprimido, tecnologias de fabricação aditiva e ainda materiais de protecção contra a corrosão.
A reviproject é habitualmente distribuída em ficheiro pdf (edições digitais) ou em versão impressa aos Assinantes. Excepcionalmente, pode "espreitar" esta edição já hoje, clicando na imagem da capa.

Uma edição cheia de novidades!

Está em distribuição a REVIPROJECT 188, cheia de novidades técnicas. Nas notícias de abertura, o destaque vai para o conjunto das feiras GIFA, METEC, THERMPROCESS e NEWCAST, que se realizam em Dusseldorf (Alemanha), formando o The Bright World of Metals, a maior plataforma de negócios a nível mundial para o sector da metalurgia e metalomecânica. 5 empresas portuguesas marcam presença neste grande evento.image

No capítulo da AUTOMAÇÃO, entre outras novidades, a REVIPROJECT destaca as novidades apresentadas pela SIEMENS na Feira de Hanover, que representam avanços nas tendências de digitalização e Indústria 4.0.

Nas páginas dedicadas a ACCIONAMENTOS, a REVIPROJECT destaca os desenvolvimentos recentes das marcas SEW-EURODRIVE,SIEMENS, NORD, INVERTEK, WEG e EMERSON.

Os novos robôs leves e “de mesa” são o destaque da secção de ROBÓTICA. As routers sem fios, as interfaces Ethernet e os conversores de protocolos preenchem a secção LIGAÇÃO. Por seu turno, as páginas dedicadas à DETECÇÃO E MEDIDA trazem informação sobre contadores de partículas, contadores de água por ultrassons e sobre sensores LED. Os novos sensores laser com conectividade Ethernet são uma das recentes novidades da OMRON.

Na secção SOFTWARE, esta edição destaca o EPLAN 2.5 e a nova ferramenta de gestão de energia da SISTRADE.

A REVIPROJECT 188 inclui ainda páginas sobre VISÃO (novidades INFAIMON), SEGURANÇA (sensores OMRON), MÁQUINAS e MATERIAIS.

Esta edição foi disponibilizada em três formatos: edição impressa, edição digital em pdf (com hiperligações activas para páginas, documentos e vídeos) e ainda uma edição consultável on line. Desta vez, antecipamos o acesso a esta edição. Basta CLICAR PARA VER! Aproveite esta oportunidade, habitualmente só disponível para assinantes

"Bio-azulejos" são alternativa à cerâmica

image Até os azulejos podem ser baseados em materiais renováveis. Os investigadores dos Instituto Fraunhofer (Alemanha) vão apresentar na International Green Week (Berlim, 18 a 27 de Janeiro) novos compósitos bioestáveis que podem ser usados em arquitectura e design de interiores.
Os novos materiais consistem numa mistura de resina epoxi de óleo de linhaça, várias fibras naturais e terra de diatomácias, um material extraído de diatomácias fossilizadas. Os novos biomateriais para azulejos, como os que foram desenvolvidos pelo Instituto Fraunhofer de Mecânica de Materiais (IWM) de Halle (Alemanha), são amigos do ambiente, leves e – dependendo da fabricação e das propriedades do material – mais eficientes do ponto de vista dos recursos e da energia, comparativamente os materiais cerâmicos convencionais. "O compósito não é rígido como o vidro nem quebradiço como a epoxi convencional, mas flexível e dobrável" – diz Andreas Krombholz, cientista da divisão de compósitos naturais do IWM. Os novos compósitos abrem novas perspectivas à arquitectura. No processo de moldação, podem ser formatados com maior grau de liberdade, em quadrados, triângulos ou círculos, por exemplo. As combinações e cores podem ser a pedido.

Adicionando pigmentos fluorescentes à mistura, podem obter-se azulejos luminosos. Isto significa que podem ser usados, em exteriores e interiores, como sinalizadores luminosos em paredes ou pavimentos. Os bio-azulejos também podem ser instalados em cozinhas ou casas de banho, bem como em coberturas de solo interiores.

6ª edição do concurso de casquilhos

image Pela sexta vez a igus, empresa especialista em casquilhos auto lubrificados em polímero, realiza o concurso “manus” para aplicações com casquilhos em polímero. Desde 2003 que a competição se realiza de dois em dois anos. São convidados a participar todos os fabricantes de máquinas criativos e inovadores. O “manus“ é uma iniciativa conjunta com vários parceiros académicos tais como o Institut für Verbundwerkstoffe (Instituto para Materiais Compósitos) em Kaiserslautern e a Fachhochschule (Escola Superior Profissional de Colónia) em Colónia. Na última edição, há dois anos, foram registadas mais de 300 aplicações inovadoras.

Procuram-se novamente aplicações inovadoras com casquilhos auto lubrificados em polímeros isentos de manutenção que se devem distinguir pela sua eficiência técnica e/ou económica, assim como pela sua criatividade e produção de resultados surpreendentes. A candidatura é muito simples: Para a sua avaliação o júri necessita de uma breve descrição da aplicação e do motivo do seu desenvolvimento, incluindo fotografias ou esboços com a descrição da solução, assim como a indicação do tipo de casquilho utilizado. Podem participar todas as aplicações que tenham casquilhos em polímero maciço ou casquilhos compostos, excluindo-se o uso de casquilhos revestidos.

As candidaturas podem ser apresentadas até ao dia 28 de Fevereiro de 2013. O vencedor ganhará 5.000 EUR (2° e 3° lugar 2.500 e 1.000 EUR, respectivamente). A documentação para a candidatura está disponível online (CLICAR AQUI). A entrega dos prémios terá lugar na Feira de Hanover de 2013 (de 8 a 12 de Abril).

Isentos de lubrificação

Os casquilhos em plástico resistente "iglidur" são uma alternativa aos casquilhos metálicos. Não necessitam de lubrificação nem manutenção, aumentando a segurança, a disponibilidade das máquinas e diminuindo os custos de lubrificação. a igus tem mais de 10 000 produtos disponíveis em stock.
Segundo um estudo do MIT (Massachusetts Institute of Technology), Cambridge, só nos EUA os custos de paragens devido a uma lubrificação deficiente somados são de 240 mil milhões de dólares. Com base num consumo anual de lubrificantes de aproximadamente 1,1 milhões de t na Alemanha (Departamento de ambiente e energia, Baden-Württemberg), o uso de produtos em polímero isentos de lubrificação induziria a uma redução significativa de custos de funcionamento e de manutenção. Desde 2001 que os projectistas podem seleccionar o material mais indicado para as suas aplicações e prever a duração de vida graças aos testes realizados regularmente. A selecção e cálculo podem ser feitos online (CLICAR AQUI).

Protecção de bateria para carros eléctricos

image Acompanhando a tendência favorável para os automóveis eléctricos, os cientistas do Instituto Fraunhofer (Alemanha) também desenvolvem trabalho nesta área. Um dos exemplos recentes é a substituição da caixa de protecção da bateria de Lítio-Ião por uma caixa leve, capaz de proteger a bateria em caso de acidente e passível de produção em série. LEIA MAIS

%d bloggers like this: