Robôs com pele

image O "convívio" entre pessoas e robôs exige sistemas de segurança efectivos e rápidos. O robô deve parar instantaneamente caso haja aproximação de uma pessoa. Esta paragem pode ser activada por sensores tácteis que podem ser integrados no pavimento ou directamente no robô através de uma pele artificial.

Os tapetes de segurança já fazem parte do arsenal de dispositivos de segurança de uso comum na indústria. Mais avançada é a ideia de uma pele artificial, que consiste em espuma condutora, material têxtil e um circuito inteligente capaz não só de detectar contactos físicos como de distinguir a intensidade dos impactos, de identificar quando o contacto envolve pessoas e de localizar com precisão os pontos de contacto. A ideia está a ser investigada no Institituto Fraunhofer para a Operação e Automação de Fábricas (IFF), de Magdeburg (Alemanha) por uma equipa de investigadores chefiada pelo prof. Markus Fritzsche, com base num sistema de sensores patenteado em 2008 e concebido para o LiSA, um "robô assistente" programado para executar tarefas em laboratórios de biotecnologia.
"A nossa pele artificial pode adaptar-se a qualquer geometria complexa, seja ela m uito curva ou plana" – diz o prof. Fritzsche – "Usamos os sensores de movimento para definir áreas de segurança onde as pessoas não podem entrar, mas estas áreas podem ser mudadas dinamicamente. A pele artificial também funciona como meio de input, por exemplo, para guiar o robô traduzindo o contacto em movimento. Basta uma pequena pressão. Se eu tocar o robô, ele procura fugir à pressão. Isso significa que eu posso dirigir um robô de 200 kg na direcção desejada".
A "pele" pode ser feita quer em material "respirável" quer à prova de água, de modo a abranger aplicações que vão desde a medicina até à produção industrial. "Os robôs vestidos com pele artificial registam qualquer colisão e páram imediatamente. Além disso, também podemos adicionar um sentido de tacto às ferramentas do robô, para aue ele detecte se está mesmo a pegar nalguma peça". A mesma diversidade de aplicações poten ciais ocorre com os tapetes de segurança que tanto podem ser usados para parar um robô ou máquina como podem ser usados em enfermarias ou lares para detectar, por exemplo, se um paciente caiu.

Para contactar o Prof. Markus Fritzsche, CLICAR AQUI.

%d bloggers like this: