SUBCONTRATACIÓN em Bilbau

Subcontratacion copyNos dias 6 a 8 de junho, realizam-se em Bilbau 6 feiras especializadas: SUBCONTRATACIÓN (processos e equipamentos para fabricação), MAINTENANCE (manutenção), PUMPS & VALVES (sistemas de bombas, válvulas e equipamento para processos industriais), FERROFORMA (ferragens, bricolage e fornecimentos industriais), ADDIT3D (fabricação aditiva e 3D) e FILMAQ (maquinaria de ocasião).

As inscrições na feira SUBCONTRATACIÓN refletem a melhoria da situação económica: 30% dos expositores inscreveram-se pela primeira vez e a participação de empresas não espanholas é de 11%. As empresas de subcontratação representam 83% dos expositores e os restantes 17% são fornecedores de equipamentos. A feira contará este ano com uma área temática especial dedicada ao tratamento de superfícies.
Em paralelo com a feira, decorre o Encontro Europeu de Subcontratação, organizado bilbao copypela Câmara de Comércio de Barcelona para promover encontros de negócios.  O dia 6 será dedicado aos setores ferroviário, siderúrgico, energético, elétrico-eletrónico e de maquinaria. O dia 7 será dedicado exclusivamente à área da automação e o terceiro dia será dedicado aos setores aeronáutico e de fabricação aditiva. A organização prevê a participação de cerca de 100 empresas europeias.

Feira de Máquinas Usadas

 

A ReTEC – Feira Profissional Líder para Máquinas usadas e Equipamentos realizar-se-á de 25 a 27 de abril 2017 em Augsburg na Alemanha, com a presença de 300 expositores. A oferta inclui máquinas e equipamentos usados para construção, veículos comerciais, robótica, processamento metais, madeira e plásticos, bem como ferramentas e acessórios. A feira inclui ainda serviços de retrofitting, desmontagem e remontagem e ainda transporte para máquinas usadas. Para mais informação, contactar a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã.

Schneider Electric Portugal tem novo country manager

João Rodrigues copyJoão Rodrigues é o novo Country Manager da Schneider Electric Portugal, sucedendo a David Claudino. Com formação em Automação e Eletrónica Industrial, João Rodrigues teve várias responsabilidades na Schneider Electric ao longo de 16 anos, incluindo a direção da Agência Comercial de Lisboa, o desenvolvimento das ofertas nas áreas das energias renováveis e gestão técnica de edifícios. Foi também Vice-Presidente do Energy Business e do IT Business da Schneider Electric Portugal.

por-banner-468x200

Indústria clama por… uma clara política industrial europeia

Mais de 90 associações industriais subscreveram uma declaração conjunta instando as instituições europeias a promover a indústria e a criação de emprego. O texto é o seguinte:

"A Europa é o berço da indústria transformadora e esteve na primeira linha das revoluções industriais e das inovações tecnológicas. A indústria emprega diretamente mais de 34 milhões de pessoas em todos os Estados Membros, em cadeias de fornecimento que incluem centenas de milhares de PMEs e grandes fornecedores. É também responsável por milhões de empregos adicionais nos setores com ela relacionados.
A indústria transformadora europeia tem uma enorme capacidade de investigação e inovação, criou uma força de trabalho preparada e ganhou uma reputação global de qualidade e sustentabilidade. Do que necessita agora é de um apoio rápido e determinado das instituições europeias e dos Estados Membros para criar mais empregos e crescimento na Europa.
Chegou o tempo de fazer soar o alarme sobre os desafios consideráveis todos enfrentamos. Entre 2000 e 2014, a quota da indústria transformadora no produto total da UE caiu de 18,8% para 15,3%, enquanto 3,5 milhões de empregos industriais se perderam entre 2008 e 2014. Ao mesmo tempo, países de outras regiões do mundo estão a colocar a indústria no topo das suas agendas políticas. A estratégia "Make in India" visa fazer crer que a Índia é "o próximo destino de fabricação" e a estratégia "Made in China 2025" visa transformar a China na "potência industrial líder". A recente mudança do EUA para a política "America First" terá inevitavelmente um forte impacto na sua política industrial.
No início do seu mandato, o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker identificou a reindustrialização da Europa como uma das suas prioridades de topo e confirmou o objetivo de aumentar a quota da indústria no PIB Europeu para 20% até 2020. À medida que nos aproximamos da preparação do próximo Quadro Financeiro Plurianual, é vital que a Comissão Europeia atue e ajude a UE a continuar a ser uma potência industrial competitiva num mercado global mais justo.
Por tudo isto, nós, a indústria transformadora europeia, representando um leque alargado de setores, apelamos à Comissão Europeia para que:

– reafirme o seu compromisso de atingir a meta de 20% do PIB para a indústria, com um programa ambicioso e realista;

– Adote um Plano de Ação que ataque os desafios que os setores industriais enfrentam, no quadro de uma Comunicação que deverá incluir passos e marcos concretos, e

– Se comprometa a implementar este Plano de Ação de modo adequado e a reportar regularmente os progressos.

Os Estados Membros e o Parlamento Europeu declararam claramente o seu total apoio a uma estratégia industrial europeia através das Conclusões do Conselho Europeu favoráveis ao reforço e modernização da base industrial da UE (15 de dezembro de 2016) e a Resolução do Parlamento sobre a necessidade de uma política europeia de reindustrialização (5 de outubro de 2016).

Nós, as associações signatárias desta Declaração Conjunta, estamos prontas para iniciar a cooperação com a Comissão Europeia, o Parlamento Europeu e o Conselho da Competitividade para definir e implementar esta estratégia industrial ambiciosa e coordenada que irá ajudar a salvaguardar a liderança mundial dos fabricantes europeus e os empregos na Europa."

Para ver o texto oficial e as associações signatárias, clicar AQUI.

image_thumb[2]

EMAF cresce 35%

A EMAF Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria, tem 412 empresas inscritas para a sua 16ª edição. A Exponor espera ter um dos melhores certames dos últimos anos. O crescimento em relação à edição de 2014 (a feira é bienal) é na ordem dos 35% prevendo-se também um aumento significativo do número e qualidade dos visitantes.

Nesta EMAF, que se realiza na Exponor, de 23 a 26 de novembro, os players da indústria portuguesa podem encontrar soluções e novidades que dão resposta às suas necessidades de modernização e ganhos de eficiência. A feira torna-se também mais interessante para as empresas exportadoras, com a visita de empresários oriundos de países como Espanha, França, Irlanda, Alemanha, Suíça, Itália, República Checa, Hungria, Turquia, Angola, África do Sul, Estados Unidos da América e Brasil.image

Em 2016 , Emaf e Fimap irão ocupar os 6 pavilhões e galerias da Exponor, numa área Bruta de 35.000 m2 e prevemos que irão passar cerca de 40.000 visitantes

Uma vez mais, a EMAF realiza-se simultaneamente com a 19ª FIMAP – Feira Internacional de Máquinas, Acessórios e Serviços para a Indústria da Madeira, numa fórmula que os anos têm vindo a coroar de sucesso. A realização contígua destes dois eventos especializados permite apresentar soluções para toda a cadeia de valor industrial.

Destaque, também, para a realização de vários seminários técnicos e fóruns de debate, onde as «Jornadas de Manutenção Industrial» são um palco privilegiado para a divulgação e troca de conhecimentos entre profissionais da manutenção e académicos. «Evolução do Outsourcing», «Segurança em Manutenção», «Eficiência Energética» ou «Gestão de Ativos» são alguns dos outros temas em debate.

.

EMAF 2016

banner_600x180

%d bloggers like this: